GILBERTO GIL, ROBERTA MEDINA, FÁTIMA BERNARDES, FÁBIO ASSUNÇÃO E ALOK NO ROCK IN RIO HUMANORAMA

Publicado em Setembro 15, 2021
Autor / Fonte: APPROACH COMUNICAÇÃO


GILBERTO GIL, ROBERTA MEDINA, FÁTIMA BERNARDES, FÁBIO ASSUNÇÃO E ALOK NO ROCK IN RIO HUMANORAMA

Começou o Rock in Rio Humanorama! O festival de conversas do Rock in Rio deu o pontapé com uma abertura emocionante realizada pelo CEO do Rock in Rio, Luis Justo, pela VP de Learning Experience e quem está à frente do Humanorama, Agatha Arêas, e o Diretor Artístico do Rock in Rio, Zé Ricardo, que apresentaram o festival de conversas ao público em um palco feito totalmente de led. Já no primeiro dia de evento, grandes nomes como Gilberto Gil, Roberta Medina, Fátima Bernardes, Fábio Assunção, Andreia Sadi, Alok, Luis Justo, Martha Gabriel, entre outros, participaram de conversas que causavam provocações no público o tempo inteiro. No encerramento, um mapa de comentários foi apresentado pelos mestres de cerimônia, Dante Freitas e Renan Hanouche, responsáveis pelas interações com a plateia virtual, por meio da hashtag #humanorama durante os intervalos dos painéis, que bombava a cada conversa, além de uma apresentação intimista do jovem músico Taylan.

“O Humanorama é o nosso “espetáculo do humano”, e a oportunidade de darmos palco à humanidade que reside em cada um de nós. Neste primeiro dia, pudemos vivenciar conversas um ambiente de escuta, fala e colaboração dando a oportunidade de amplificarmos o nosso repertório e reforçar a empatia que precisa estar presente cada vez mais nas relações pessoais. Seguimos com grande expectativa para os próximos dias confiantes nas trocas e conhecimento que o Humanorama vai nos proporcionar” comemora Agatha Arêas, VP de Learning Experience do Rock in Rio.

O Rock in Rio Humanorama acontece de forma digital e gratuita até 17 de setembro, das 10h às 15h30, e é realizado simultaneamente entre Brasil e Portugal com a participação de mais de 250 dinamizadores, entre empresários, artistas, executivos, acadêmicos, empreendedores sociais e jovens inspiradores. Para acompanhar este novo projeto, basta fazer a inscrição em rockinriohumanorama.com e escolher os palcos e diálogos para assistir, divididos em “SOU”, “NÓS”, “SOMOS” e “Workshop”. Os espaços, aliás chamaram a atenção do público neste primeiro dia: “Tô me sentindo no rock in rio! Cada hora entro em uma “tenda” diferente com programações tão iradas q fazem o tempo passar muito rápido!!!!” comentou o internauta Raphael Soares.

O jornalista e compositor, Nelson Motta, e a podcaster, Mariah Morena, comandaram a primeira transmissão do palco “SOU”. Na conversa descontraída que leva o título “Como uma onda no mar: tudo muda o tempo todo no mundo”, eles debateram sobre o novo mundo, de grandes mudanças, em que a vida vem sempre em ondas, como o mar, como diz a composição de Nelson na voz de Lulu Santos “Como Uma Onda”. Em um momento de destaque da conversa, em que Mariah pontuou sobre o futuro de Nelson após tudo o que ele passou de mudanças e transformações em sua vida, em que ele afirmou que comemora estar vivo desde sempre e o que o move no dia a dia é a família, além de trabalhar e se arriscar em novos projetos, sem limites para a cabeça. “Nelson Motta sempre foi uma inspiração pra mim, e essa fala de querer viver e gostar de trabalhar, me faz ter mais vontade de viver. Gratidão”, comentou o internauta Felipe Ferreira de Melo.

Em uma das conversas mais aguardadas do dia, no canal “NÓS” a jornalista Andreia Sadi conversou com o cantor e compositor, Gilberto Gil, e o Presidente da CUFA (Central Única das Favelas), Preto Zezé, sobre o papel da cidadania ativa em meio a sociedade em que vivemos. Um dos destaques da conversa foi quando Andreia questionou qual o papel da cultura hoje na busca pela cidadania no Brasil, e para Gil “é o papel que sempre teve. Veicular o discurso, a emoção, a revolta e até o aplauso quando o ato é bem-vindo. A cultura é por onde a alma se manifesta e se estabelece as características de um povo, uma nação. É cumulação de atos, costumes e discurso das mais diversas formas. A cultura é fundamental para a construção da cidadania.”. Preto Zezé também pontuou o momento de pandemia, onde foi fundamental o papel da cultura durante este período. No chat, todos estavam encantados pela conversa “Preto Zezé, não te conhecia. Quanto tempo eu perdi. Obrigada Humanorama por promover encontros tão especiais. Que trocas incríveis” contou a internauta Juliana Coelho.

Também no canal “NÓS”, diretamente do estúdio do programa “Encontro”, a apresentadora Fátima Bernardes, conversou com o ator Fábio Assunção e a autora Thelma Guedes sobre histórias que inspiram e narrativas reais que emocionam e tornam o mundo um lugar mais humano. Quando questionado por Fátima sobre a mistura da realidade com a ficção nas histórias narradas em novelas, séries e filmes, Fábio destacou: “A arte é uma coisa gigante. Em qualquer história, não tem como a gente estar espelhando a sociedade e as pessoas, provocando-as a se transformarem, a questionarem as suas crenças com tantas maneiras diferentes de se ver a vida. As histórias inspiram, mas provocam uma transformação social.”

No canal “SOMOS”, o CEO do Rock in Rio, Luis Justo, bateu um papo com o DJ Alok e diretor de arte e artista 3D, Fesq, sobre “NFT´s por um mundo melhor: Como a tecnologia pode unir arte e propósito”. A conversa iniciou com o Fesq explicando ao público que o NFT é a implementação da tecnologia do BlockChain, que permite armazenar informações da forma imutável e mais segura possível. O NFT traz a possibilidade de usar a tecnologia para criar tokens para os arquivos digitais, uma espécie de CPF para eles. A implementação do NFT mais comum é a de artes digitais, que permite as pessoas a criarem certificados digitais para seus trabalhos autorais e que eles fiquem para sempre na rede, onde as pessoas conseguem acessar o conteúdo até daqui a 500 anos, por exemplo. Alok também aproveitou a oportunidade para destacar um projeto que realiza por meio das NFTs, em que aproveitou a tecnologia e ressignificou o seu uso para eternizar e perpetualizar cantos ancestrais de aldeias indígenas, que muitas vezes se perdiam com o tempo e, agora, poderão ser acessadas quando e onde as pessoas quiserem. Por fim, Fesq pontuou que dessa forma, esse sistema abre portas para uma economia criativa, onde centenas artistas independentes conseguem viver somente de seus trabalhos autorais.

Ainda no canal “SOMOS”, a vice-presidente do Rock in Rio, Roberta Medina, se juntou ao fundador e CO-Ceo da VTEX, Mariano Gomide De Faria, conversaram sobre tempos de resgate da confiança e de recomeço, onde para muitas empresas o contexto atual representa uma oportunidade inédita de ampliar o entendimento do seu papel na sociedade, estruturando seu negócio e habilitando suas pessoas para atuarem como agentes de construção de um mundo melhor e mais humano.

Amanhã o dia estará cheio de conversas imperdíveis como o painel de Gabriel O Pensador e Monja Coen sobre “Cuidar de mim é cuidar do mundo”; André Carvalhal, Ana Duarte e Rebeca Costa falando sobre “Moda com propósito: valores humanos conectam marca e público”; Crocas, Rodolfo Medina, Haynabian Amarante e Felippe Guerra em uma conversa que leva o título “Parem de interromper”; além do Happy Hour com a cantora AnnaLu e workshops com Marcelle Xavier, Inez Aires, Mario Rosa, Gustavo Brito, Paula Marques, entre outros.

 

Workshops se destacam na programação

Ainda neste primeiro dia, o público pôde participar e interagir nos workshops promovidos pelo Rock in Rio Humanorama, que são experiências de aprendizagem por um mundo melhor e mais humano. Desta forma, as pessoas colocaram a mão na massa, e puseram em prática ativamente alguns dos conceitos sobre os assuntos e temas abordados no evento.

No “Design para Futuros desejáveis”, comandado por Larissa Menocci, diretamente de Amsterdam, foi abordado o conceito de design como construção de ideias. O Workshop foi muito dinâmico, com interação o tempo todo, os participantes foram convidados a pensar no futuro, apontarem problemas e desenharem ideias para resolver as questões levantadas por eles mesmos, tendo o desafio de tornar essas ideias algo mais tangível. Outro destaque foi o workshop “O Papel da Pessoa Aliada: Ser Ponte”, comandado por Lau Patron, que contou com participação especial de Regina Casé ao lado de sua filha, Benedita Casé, que também vai participar do Humanorama no dia 17, no painel “Capacitismo em 1a pessoa”, com Nathalia Santos e Larissa Mariano.

Em uma parceria com a marca Diageo, foram realizados dois workshops sobre whiskys da Johnnie Walker, comandados por Fernando e Jairo Gama, nos quais contaram a história e origem do whisky da Johnnie Walker, além de falarem sobre a versatilidade da bebida e ensinarem ao público que estava assistindo diversas receitas.

O Rock in Rio Humanorama é fruto da colaboração entre Rock in Rio, a content creator A-Lab, a consultora de branded entertainment Fun e a agência de comunicação integrada Artplan, empresas do Grupo Dreamers - ecossistema de experiências. O festival de conversas tem a Heineken como Patrocinador Oficial e a Johnnie Walker como Apoiador Oficial.  A Globo está entre os parceiros de conteúdo, com o próprio A-Lab, o Zenklub, plataforma de conteúdos na área da saúde emocional, o portal português Sapo.pt e a Visorama, estúdio criativo com presença no Brasil e em Portugal. A GZero traz Dante Freitas e Renan Hannouche como mestres de cerimônias e atrações nos intervalosTM1 é parceira de tecnologia, sendo que a TM1 Live hospedará o festival de conversas em sua plataforma. A Infoview é a parceira que fará a realização das entradas ao vivo durante o festival, em seus estúdios Inlive. E para aumentar o alcance da sua mensagem, o projeto conta com a Rede Mix e a Sulamérica Paradiso, como rádios parceiras.

 

Sobre o Rock in Rio

O Rock in Rio foi criado para dar voz a uma geração e promover experiências únicas e inovadoras. Em 1985, o evento foi responsável por colocar o Brasil na rota de shows internacionais. Batendo recordes de público a cada edição e gerando impactos positivos nos países onde é realizado, se consagrou como o maior festival de música e entretenimento do mundo. Consciente do poder disseminador da marca, hoje o Rock in Rio pauta-se por ser um evento com o propósito de construir um mundo melhor para pessoas mais felizes, confiantes e empáticas num planeta mais saudável.

A internacionalização da marca começou por Portugal, Lisboa, em 2004, onde o evento acontece até hoje, seguido por Espanha (Madri) e pelos Estados Unidos (Las Vegas). No Rock in Rio, os números não param de crescer. Pelas Cidades do Rock já passaram mais de 10 milhões de visitantes nestas 20 edições. Em 35 anos, o festival ganhou o mundo e tornou-se um verdadeiro parque de experiências, mas muito além disso, cresceu e ampliou a sua atuação, sempre com o olhar no futuro.

Adotando e incentivando práticas que apoiam o coletivo, o Rock in Rio preza pela construção de um mundo melhor e se une a empresas que possuem este mesmo olhar e diretriz. Em 2013, foi reconhecido por seu poder realizador ao receber a certificação da norma ISO 20121 – Eventos Sustentáveis. Desde a primeira edição, já gerou 237 mil empregos diretos e indiretos e investiu, junto com seus parceiros, mais de R$ 110 milhões em diferentes projetos, passando por temas como sustentabilidade, educação, música, florestas, entre outros.


Mais Fotos