"CANTAR EM PORTUGUÊS, PARA O SOM DA BRUTHUS, É ESSENCIAL!" - TURBINADO ENTREVISTA

Publicado em Março 23, 2020
Autor / Fonte: GLAUCO MALTA



Crédito da foto (estúdio): Sávio Fernandes de Paulo

Texto & Fotos (show): GLAUCO MALTA

Confiram abaixo a entrevista concedida pela banda Bruthus ao Site Turbinado

Turbinado: Salve galera, quero agradecer a atenção e o tempo de vocês para conceder essa entrevista. Para começar gostaria que vocês falassem um pouco sobre os primórdios da banda. O que motivou e quem deu o pontapé inicial para formarem a banda?

Bruthus: Nós que agradecemos o espaço que o Turbinado está nos oferecendo! Em meados de 2017, o Eduardo Peixe (guitarra) e o Brown (vocal) tiveram a ideia de formar a banda, que já tinha esse nome. Seria um som pesado e cantado em português. Nós nos conhecemos e somos amigos a mais de 30 anos, o que facilitou a reunião. O Gustavo Zebs comprou um baixo e o Alexandre Sorin veio pra completar na bateria. Já no primeiro ensaio a musica “Forca” já foi composta, o que nos deixou cada vez mais animados para compormos nossas próprias músicas! Não queríamos fazer covers, e sim colocar nossa própria identidade nas nossas canções!

 

Turbinado: As músicas são cantadas em português, foi um casamento perfeito com o som pesado da banda. Hoje em dia a galera está curtindo cada vez mais o rock (de qualidade) cantado em português. Foi um consenso geral da banda que as músicas fossem em português desde o início, ou em algum momento cogitaram tentar cantar em inglês?

Bruthus: Nunca imaginamos cantar em inglês! Nunca passou pela nossa cabeça! Cantar em português, para o som da Bruthus, é essencial! Conseguimos através das gírias que colocamos nas letras nos expressar melhor, e fazer com que todo mundo entenda o nosso recado!

 

Turbinado: Quais as referências nacionais e internacionais dos membros da banda?

Bruthus: São vários os estilos dentro do heavy metal que são nossas referências! Desde o metal mais tradicional até o thrash metal! Raimundos, Metallica, Anthrax, Matanza, Korzus, Sepultura, Slayer...Fica até complicado responder essa pergunta, Glauco, pois desde moleques ouvimos som pesado...é uma junção de tudo dentro do universo do metal.

 

Turbinado: Em novembro do ano passado vocês participaram da tour com o Mike Portnoy & Noturnall, que percorreu 9 cidades brasileiras. Como rolou o convite para participarem? Como foi a experiência de tocar pela primeira vez em cidades distantes do RJ? E também como foi o contato durante todo esse tempo com Portnoy? 

Bruthus: Já havíamos tocado fora do estado de Rio em outras oportunidades. Fizemos 2 shows da Redemption Tour (Nova Friburgo e Porto Alegre), e foram shows fantásticos!! Fomos convidados pela produção do evento, já que gravamos nosso disco no Estúdio Fusão do Thiago Bianchi, que é o vocalista da Noturnall e ele curtiu muito nosso som e nossa atitude! Nós conversamos, tivemos contato e ficamos amigos de todos da Noturnall, inclusive o Mike Orlando (guitarra). O Portnoy é mais reservado, mas tratou todos muito bem!

 

Turbinado: Tenho acompanhado a banda pelas redes sociais há algum tempo, e vocês não param um segundo; lançaram (primeiramente via streaming) e recentemente de modo físico o excelente CD “Comigo Não”, que é uma “pedrada sonora”. Como tem sido a receptividade do novo disco?

Bruthus: Muito obrigado pelo “pedrada sonora” rsrsrsr!! A receptividade está sendo surpreendente! Enquanto fazemos as composições, logicamente mostramos para as pessoas mais próximas, para termos um feedback, mas quando você tem esse retorno de pessoas que nunca vimos, nos shows e pelas redes sociais, aí sim, é um sinal que estamos conseguindo nosso objetivo!

 

Turbinado: As letras compostas pela banda retratam um cotidiano ao qual nos identificamos de cara, vocês acham que este é um dos grandes fatores do reconhecimento que a banda tem obtido pelo público?

Bruthus: Sim, nossos temas sempre são da natureza humana. O policial, o cobrador, o devedor, o injustiçado, o pai de menina, o festeiro, etc...Damos muita ênfase aos refrões! Eles tem que vir potentes, pra ficar na cabeça!! Dá pra notar nos shows que eles estão funcionando!

 

Turbinado: O país está passando por um momento político, social e cultural muito complicado. Como a banda se enxerga dentro deste cenário cultural nacional? Vocês acham que para fortalecer a cena não só do metal, mas da cultura em geral é importante que os artistas se posicionem de alguma maneira?

Bruthus: Nós não nos envolvemos com assuntos políticos, mas é inegável que nossa vertente poderia ter mais apoio do poder público.

 

Turbinado: Além do novo CD , a banda lançou também alguns itens de “merchan” bem legais. Sabemos que não é fácil e nem barato para uma banda independente proporcionar aos fãs esses “mimos”. Sinceramente, vejo muitas bandas do underground que não tem essa visão e preocupação de direcionamento mais “profissional” da sua carreira artística. Vocês acham que as bandas deveriam pensar mais “lá na frente” e terem esse foco (empreendedor)?; não como “uma fonte de renda pessoal”, mas como um meio de capitalizar para investir no próprio crescimento da banda?

Bruthus: Que legal que você tocou nesse assunto, Glauco! O profissionalismo sempre nos acompanhou desde o surgimento da banda! Começa nos dias e horários de ensaios serem cumpridos! Sempre buscamos a excelência nas nossas atividades e no modo de ser cada vez mais profissional, não só no som, mas também nas atitudes como banda! Estamos sempre buscando melhorar e diversificar o nosso merchandising, pois é o “plus” que o fã leva pra casa! Esse valor é reinvestido em equipamentos e mais merchandising, para que a marca Bruthus esteja cada vez mais nas ruas e shows!

 

Turbinado: Antigamente as bandas tinham como meta assinar com uma “major”, lançar um disco e vendar centenas de cópias, sair em tournê fora do Brasil e ganhar muita grana com isso tudo. Com o advento da internet certamente a realidade da indústria musical hoje é outra. O foco das bandas também mudou?  A internet mais atrapalha ou ajuda as bandas do underground? 

Bruthus: Nós achamos que ajuda muito. Nossa primeira demo “O Sacode” foi lançada musica a musica durante 7 sextas feiras! Cada sexta era uma musica diferente através de grupos de whatsapp ou como mensagem pessoal! Era muito bacana, pois as pessoas já ficavam ligadas ao novo som que iria aparecer como mensagem a cada sexta! Ajudou muito na disseminação das musicas! Muitos amigos de várias partes do Brasil ajudaram na divulgação da banda! Nosso disco está no Spotify, todo mundo tem acesso, porém, não dá pra ficar sem o cd físico! O fã de heavy metal ainda mantém o costume de ter o material, levar como recordação, ver fotos, letras, ficha técnica, agradecimentos, etc.

 

Turbinado: Agradeço mais uma vez pela entrevista e para finalizar gostaria que deixassem uma mensagem para a galera que está lendo esta entrevista.

Bruthus: É um grande prazer estar falando pro Turbinado! Estivemos em Porto Alegre e fomos muito bem recebidos pelos headbangers no Bar Opinião! Estamos ansiosos pra voltar! Sempre dizemos pros amigos que tem instrumento parado em casa, que se juntem e toquem! Façam um som pra se divertir! Fiquem ligados nas novidades da banda e curtam as nossas redes sociais! Nos encontraremos por aí, ”Demonhada”!!

 

Acompanhe a Bruthus nas redes sociais:

Instagran: @bruthusnovafriburgo

Facebook: Bruthus banda

 

Confiram um trechinho da apresentação em Porto Alegre em 2019

BRUTHUS - FESTA DE MALUCO (AO VIVO) NO BAR OPINIÃO




Mais Fotos